O que faz o poder do seu japamala

 em energia, Japamala, lótus, pedras, rudraksha, sândalo

Cada vez mais populares no ocidente, o japamala é um objeto revestido de simbolismo, crenças, misticismo e energia.

Inicialmente restrito às práticas do yoga, o japamala foi incorporado pelo budismo passando a se chamar somente “mala”. Mais recentemente, os praticantes do ho’oponopono também se apropriaram do japamala para repetir suas mentalizações.

Ao pesquisar a história do japamala e retomar as origens védica do objeto, passando pelo número de contas usadas no japamala, pesquisando sobre as partes do japamala, combinando os materiais usados na confecção do japamala até seus diversos usos e aplicações, é possível verificar toda essa atmosfera simbólica.

Mas o que realmente faz o poder do japamala?

Embora seja um objeto intimamente ligado a práticas mentais e espirituais há muito tempo, nunca podemos nos esquecer de que o japamala é apenas um instrumento de contagem. Com ele, os praticantes de diversas tradições e doutrinas fazem a contagem de suas mentalizações.

Com o passar do tempo, o japamala ganha ‘vida’. E essa ‘vida’ – assim mesmo, entre aspas – pode ser explicada de forma mais concreta do que as considerações sutis que as diversas tradições que usam o japamala propõem.

É na física que encontramos amparo científico para nos apontar de onde vem o poder do japamala.

Há muito tempo a física demonstrou (e demonstra até hoje) as propriedades energéticas dos materiais. E, mais recentemente, com o desenvolvimento da física quântica, foi possível explorar mais detalhadamente as propriedades energéticas de diferentes materiais, corroborando e fortalecendo as teorias que as tradições espirituais já exploravam há séculos.

A ciência nos ajuda…

Graças a física quântica é possível afirmar que as energias impactam todo o ambiente em seu entorno.

Ora, se todo material tem energia e esta energia é singular e capaz de ativar esta vibração ao seu redor temos o ponto de partida para se investigar de onde vem o poder do japamala.

Desta forma, podemos concluir que é a combinação de materiais do japamala, somada às práticas regulares e disciplinadas, que fazem do japamala um objeto tão poderoso.

…junto com tradições milenares

Alguns materiais usados na confecção do japamala recebem atenção especial pois são empregados há muito tempo e por tradições importantes.

As sementes de rudraksha, por exemplo, são talvez o material mais utilizado na confecção do japamala tradicional. Em sânscrito, o termo ‘rudraksha’ simboliza Shiva, uma das divindades mais veneradas do hinduísmo. Rudra significa Senhor Shiva e Aksha significa lágrimas. 

Segundo a tradição hindu, o próprio Shiva foi o primeiro admirador e usuário das sementes de rudraksha.

Por isso, devotos e sábios começaram a usar as rudrakshas como uma bênção do próprio Senhor Shiva para proteger a humanidade da miséria e outros sofrimentos mundanos.

O sândalo é uma madeira nobre e possui um perfume muito característico. É usado para inúmeras finalidades que vão desde a confecção de malas até a fabricação de incensos e a extração de óleo essencial.

No budismo, o sândalo é mencionado em várias escrituras (sutras). Em algumas linhagens budistas o sândalo é associado à família de Lótus (Padma) e diretamente relacionado ao Buda Amitaba. Acredita-se que sua fragrância ajuda a manter a mente alerta durante a prática da meditação.

Além disso é dos aromas mais populares usados nos incensos oferecidos ao Buda Amitaba.

A semente de lótus – que tem origem a partir da flor de lótus – é um símbolo de poder espiritual presente tanto no hinduísmo como no budismo. Em sânscrito, diz-se “Kamala”.

Planta aquática, o lótus finca suas raízes na lama, no fundo de riachos e lagoas. Mas ela cresce para se tornar a mais bela flor, apesar de suas origens. Ela simboliza como é possível superar os obstáculos de nossa jornada através da vida e florescer lindamente. Também representa crescimento e desenvolvimento espiritual.

Como diz o pensamento budista, “da lama e do lodo nasce o lótus”.

Além disso, é amplamente utilizada pela ayurveda – medicina tradicional indiana – para inúmeros tratamentos. Cada parte da planta, da raiz às sementes, possui aplicações terapêuticas diversas.

As pedras representam um capítulo à parte neste universo energético. Todas elas possuem características especiais que vão muito além da sua cor. Há inúmeras publicações que tratam de descrever as propriedades energéticas das pedras e outras que buscam fazer relatos históricos sobre seus usos e aplicações.

Enfim, o que faz o poder do japamala

É fundamental que toda esta energia esteja em movimento constante. Assim, é nossa prática regular e disciplinada que coloca tudo isso em harmonia – o misticismo do japamala, com as atribuições tradicionais dos materiais somadas as energias das pedras – e confere o verdadeiro poder do japamala.

Agora que você já tem boas pistas de onde vem o poder do seu japamala, é hora de colocar suas energias em movimento e potencializar tudo isso.

Compartilhe suas experiências conosco deixando um comentário abaixo. Nós adoraríamos conhecer!

Um abraço e boas práticas,
Mãos Ocupadas

Referências: https://www.greenme.com.br/segredos-para-ser-feliz/6943-fisica-quantica

Imagem de destaque: http://spiritualarts.org/blog/living-light/harmony-and-vibration/

Postagens Recentes
Mostrando 2 comentários
  • Elza
    Responder

    Bom dia
    Gostei muito de ter essas informações sobre o Japamala.
    Gosto muito do meu Japamala e das minhas pulseiras de Rudrasksha.
    Elas me dão muita paz.
    Elza

    • Mãos Ocupadas
      Responder

      Que coisa boa, Elza!

      Aproveite seus japamalas!

      Um abraço e volte sempre que quiser,
      Mãos Ocupadas

Deixe um Comentário

0

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar